Reprovação escolar dos filhos: como os pais devem agir

Publicado: 06/12/2017

Nesta época do ano, um dos temores vividos pelas famílias é quanto à possível reprovação de um filho na escola. Pais e mães ficam apreensivos ao ter de abordar o assunto em casa, principalmente se a notícia da reprovação já chegou.
 
Para a psicopedagoga Alda Colombo, o tema deve ser abordado com muito cuidado. “Isso porque houve um pequeno problema, que foi a reprovação. Mas, no todo, a criança ou o adolescente normalmente é tido como um sucesso pelos pais. Só não foi na escola, este ano, pela reprovação. Não se deve destruir todo um conceito num momento de formação em razão de um erro de percurso”, destaca.
 
Alda, que é diretora da PanDesenvolvimento Humano, diz que os pais, claro, devem conversar com a criança ou o adolescente. Primeiro tentar descobrir as causas que geraram a reprovação. “Mas, no geral, durante a conversa, procurar ressaltar sempre o que foi positivo durante o ano”, acentua.
 
Os pais também não devem se perguntar “onde foi que erramos”. Existem, segundo Alda, inúmeros fatores que podem levar à reprovação, e não apenas um. “O ano é longo. Podem ter existido muitos fatores, com questões emocionais, mortes, acidentes, doenças, mudanças, separações, e tudo isso pode ter contribuído para um ano de estudos ruim, diz.
 
O ideal, segundo Alda, são os pais - e o estudante - buscarem crescer com essa reprovação. “Devemos tirar lições, boas lições disso tudo. Os pais, com certeza, ficarão mais antenados e a criança ou adolescente também aprenderá com isso”, afirma. “O importante é definir como vai ser daqui pra frente”, complementa.
 
Alda, que também é master coach sistêmico e trainer em neuro-semântica, diz que, em momento algum, os pais devem tomar decisões por impulso, baseado no emocional. “Nesse momento a razão precisa falar mais alto. Os pais são adultos, a criança é criança. São eles que devem mostrar o rumo certo. Pedras no caminho estarão nas nossas vidas, por toda a existência. Então, o melhor é dialogar e, juntos, fazer um próximo ano letivo melhor”.
 
TROCA DE ESCOLA - Algumas famílias pensam em mudar a criança de escola para poupá-la de alguma humilhação por parte dos colegas. Isso só deve ocorrer se realmente o colégio não tiver um bom ambiente e existirem problemas de relacionamento. O ideal para Alda é que os pais procurem ensinar os filhos a enfrentarem os problemas de frente. “Não a fugir dele”, frisa.

Postagens Relacionadas

Portal de Santa Felicidade destaca cursos da PAN que ajudam empresários a driblar a crise

Publicado: 17/11/2017

Leia Tudo

Workshop Uma Mente Milionária será ministrado em Guarapuava, dia 29

Publicado: 26/12/2017

Leia Tudo

Em entrevista à Rádio Educativa, Alda Colombo fala sobre a dor da perda

Publicado: 01/11/2017

Leia Tudo